Diagnóstico do câncer: Como estão as inovações para o tratamento?

Inovações no Tratamento e no Diagnóstico do câncer

As inovações no tratamento e no diagnóstico do câncer sofreram mudanças substanciais desde 1872, principalmente, com a primeira documentação sobre a transmissão hereditária do câncer. Isso significa que, mesmo que sempre tenha existido em todo o mundo, apenas na segunda metade do século XIX é que foi comprovada sua transmissibilidade de pais para filhos.

Por isso é importante que você entenda um pouco sobre a história do diagnóstico da oncologia no Brasil.

Acontecimentos históricos no diagnóstico do câncer

É claro que o câncer é conhecido entre gerações como uma doença associada aos hábitos e à hereditariedade. Mas foi com o estudo documentado por um Oftaomologista mineiro, Dr. Hilário de Gouveia, que foi constatada a predisposição genética do câncer.

No final do século XIX, através do tratamento do câncer de pele, pelos médicos Tage Anton e Thor Stenbeck; este último desenvolve o primeiro método de radiação fracionada, técnica utilizada até hoje para este tipo de tratamento.

Segundo a Fiocruz, já em 1911, a veiculação do periódico Archivos Brasileiros de Medicina inclui uma “Sessão Permanente do Cancro”, com o intuito de relacionar as afecções cancerosas. Mas cancro é câncer? Não necessariamente. Cancro refere-se a alterações celulares que podem evoluir para diferentes tipos de câncer. No mesmo ano, é publicada uma teoria viral do câncer com amparo científico, que relaciona o câncer a diferentes afecções.

Em 1919 é inaugurado o primeiro Departamento Nacional de Saúde Pública (DNSP) com conscientização sobre a lepra e doenças venéreas. Posteriormente foram inaugurados dois outros órgãos que atuam no avanço de diagnóstico do câncer.

O Instituto do Radium foi inaugurado em Belo Horizonte, em 1922. Desde então, o controle do câncer cresceu substancialmente no mundo. Logo, em 1929, é inaugurado o instituto do câncer e em 1935 foi realizado o I Congresso de Câncer no Rio de Janeiro. Então é criado em 1937 o Centro de Oncologia do Distrito Federal. Mais tarde torna-se o Instituto Nacional do Câncer (INCA), principal órgão de controle nacional até hoje, junto com o Serviço Nacional de Cancerologia (SNC).

O poder da conscientização

Campanha que incentiva a mudança de hábitos para prevenir através do diagnóstico do câncer
Campanha de 1985

O Grupo Assessor para o Controle do Tabagismo (GATC) veicula sua primeira campanha de combate ao câncer causado por cigarro, em 1985.

Então, até a segunda metade do século XX, a conscientização de hábitos que podem gerar alterações celulares cresceu em ritmo acelerado, já que o consumo de produtos cancerígenos aumentou na mesma proporção.

O consumo de produtos cancerígenos cresceu com a industrialização dos produtos alimentícios, revelando diferentes causas de diferenciação celular e metástase.

As inovações no diagnóstico

A OMS constatou que, em 2015, 223.4 mil mortes estavam ligadas ao câncer. Por isso a organização reforça que a detecção e o tratamento precoce aumentam as chances de resultados satisfatórios e essas são as diretrizes que dão norte às inovações e ao tratamento da doença. No Brasil existem 4 startups: Ziel, Onkos, OncoTag e Genomika.

Principais projetos de diagnóstico

  • Ziel: Atua no câncer de colo de útero e foi desenvolvido um dispositivo, o SelfCervix, conquistando um avanço no diagnóstico de doenças como o HPV e outros sinalizadores de pré-disposição. Referentes aos tipos de câncer que podem ser evitados quando diagnosticados em seu início. A conquista do teste autorrealizável é um avanço muito forte no diagnóstico e tratamento oncológico.

 

  • Osko: Para não ter de lidar com cirurgias, que podem ser prescritas em casos nos quais não há uma certeza absoluta sobre o tipo de tumor, como precaução, esta startup desenvolveu o mir-THYpe, um dispositivo que pode reduzir até 73% das cirurgias desnecessárias, evitando sequelas irreversíveis e efeitos colaterais diversos através da análise das moléculas reguladoras de RNA.

 

  • OncoTag: É responsável por um sistema de diagnósticos que já tem promessa de lançamento em 2020. A empresa promete revolucionar o modo como são escolhidos os tratamentos para cada tipo de câncer. Isso evita que um paciente tenha de realizar vários tratamentos até que o tratamento ideal surta efeito. A empresa promete mapear as células cancerígenas. Isso permitirá identificar, exatamente, qual é o tipo de mutação celular, ou seja, o tipo do câncer. Assim o(a) paciente poderá fazer um tratamento específico, evitando todos os efeitos colaterais de outros tratamentos com o diagnóstico do câncer mais cedo.

 

  • Genomika: Desenvolveu um software de mapeamento genético que também permite um diagnóstico mais específico das células com câncer. Além disso, a empresa também é responsável pelo diagnóstico através da biópsia líquida.

As inovações no tratamento

Andam de mãos dadas às inovações de diagnóstico pois é através delas que torna-se possível identificar o tumor em fase inicial e, também, trata-lo de forma assertiva, evitando o desconforto de tratamentos invasivos e até cirurgias desnecessárias.

As startups acabam sendo uma frente muito poderosa em todo o processo de diagnóstico e tratamento. Existem, além dos órgãos responsáveis, profissionais que se destacam na busca pelo avanço de diagnósticos e tratamentos para pessoas com câncer. Mas como você pode se inteirar sobre as novidades nesse campo?

Oncologia no Brasil – Inovação no Tratamento e no Diagnóstico do Câncer

Nesta terça-feira (25/09) o Correio Braziliense organiza, em parceria com o Hospital Sírio Libanês, o Correio Debate com abordagem de diversos profissionais da área, dentre eles destacam-se o Ministro de Estado da Saúde interino Adeilson Loureiro Cavalcanti e sete profissionais da área.

Mais que inovar, é importante que estas pesquisas e projetos apresentados estejam futuramente disponíveis a toda a população, afinal, é uma doença que pode acontecer em qualquer faixa etária, sexo e condição social.

Como me mantenho informado(a)?

Além do debate organizado e transmitido pelo Correio Braziliense, é importante que você faça consultas e checkups regulares. Então todas as pesquisas e inovações partem do mesmo princípio: quanto mais cedo for diagnosticado o tumor, maiores serão as chances de sucesso no tratamento.

Fale com um de nossos especialistas


Referências:
CUF; BVS; FAPESPFiocruz e Inca

COMPARTILHE ESTE POST